Por aqui, toda semana, visibilidade para as tantas identidades que integram o nosso povo. Este é o Sinal de Cultura. Bem vindo! Bem vinda!

Foto: Reprodução fb Prefeitura de Capela

A FESTA DO MASTRO EM CAPELA

O som da zabumba marca a tarde do último sábado de junho em Capela (SE), quando centenas de pessoas acompanham o tradicional cortejo da baiana. Um momento de alegria e resgate cultural, que tem o objetivo de arrecadar brindes e bebidas dos estabelecimentos comerciais da cidade para serem colocados no mastro de São Pedro. O cortejo, que existe há mais de 50 anos e foi criado em uma brincadeira entre os moradores, circula o comércio da cidade embalado por cantigas folclóricas e finaliza na prefeitura, onde os brindes arrecadados são guardados para a festa do Mastro, que acontece no dia seguinte.

No domingo, logo cedo, uma multidão sai da frente da Prefeitura, rumo à mata para cortar uma árvore. Durante o trajeto, os foliões dançam ao ritmo do carro de som e ao chegar na mata, distante cerca de 10km, é feita uma saudação pelos tradicionais bacamarteiros ao redor da árvore escolhida. Esta, é derrubada a machadadas e novas mudas são plantadas no local. Os participantes seguem em direção à Praça Anderson de Melo, onde os brindes são finalmente amarrados nos galhos do mastro. Uma nova saudação dos bacamarteiros e ele é fincado e erguido por cordas pelos participantes. À noite, uma fogueira é acesa e, quando o mesmo tomba são jogados buscapés nos que se arriscam a apanhar os prêmios. Ainda assim, nada sobra.

Foto: Reprodução fb Prefeitura de Capela

Essa manifestação popular  foi organizada pela primeira vez em 1939, quando os irmãos Nelson Francisco de Melo, Napoleão Francisco de Melo, Wilson de Melo e Anderson Francisco de Melo decidiram festejar o Dia de São Pedro, com amigos e familiares. A brincadeira começava com a busca de uma árvore seca na mata, que, à noite, servia de fogueira. Os anos se passaram e a festa se modificou, mas sem perder a tradição de buscar o famoso mastro. Como o caminho até a floresta era de terra batida, quem participava ia sujando os amigos com a lama das poças d’água, e isso foi incorporado à tradição.

Hoje, quase 80 anos depois, a Festa do Mastro integra o calendário dos principais festejos juninos e atrai anualmente centenas de turistas para Capela. Durante todo o final de semana, a cidade permanece em festa e ainda há diversos shows durante à noite e arrastões com trio elétrico durante o dia.  Isso movimenta a economia e turismo, além de manter viva mais uma das identidades de nossa sergipanidade.

Rapidinhas

– Em Aracaju, a festa continua nos bairros, no Forró Caju (Pç. General Valadão e Pç. do mercado central) e Arraiá do Povo.

– Diversos artistas sergipanos estão animando os nossos festejos juninos. Não deixe de prestigiar!


Por enquanto, é isso. Me siga no instagram: eiarturfarias

Email: [email protected] ou [email protected]

Comentários

Carregar mais Artigos relacionados
Carregar mais por Redação 79
Carregar mais em Diversão & Arte
Os comentários estão fechados.