Por aqui, toda semana, visibilidade para as tantas identidades que integram o nosso povo. Este é o Sinal de Cultura. Bem vindo! Bem vinda!

Foto: Reprodução

João Silva Franco, o poeta sapateiro, completaria 100 anos nesse 20 de junho. Cidadão adotivo de Laranjeiras (SE), teve sua vida marcada pelo sobrenome postiço da profissão que o tornou conhecido da comunidade ao longo dos anos. Sempre com uma boa conversa, observava as vivências e os costumes da população, transcrevendo-os em folhas de papel pautado, sempre em letras de forma, fixadas nas paredes da sua oficina. Poemas que surpreendiam a freguesia e, pouco a pouco, fizeram o simpático sapateiro de “mão cheia” ser reconhecido como João, o Poeta Sapateiro.

Uma curiosidade é que João nasceu em Riachuelo (SE) e não em Laranjeiras, como muitas pessoas imaginam. Acontece que em busca de melhores condições de vida, sua família mudou-se para a capital em 1938, transferindo-se anos depois para Laranjeiras, onde o poeta sapateiro permaneceu por setenta anos. Interessante refletir como entre as tantas identidades que expressam a cultura sergipana, pouco ou, muitas vezes, nada referencia esse brilhante poeta, que conseguiu produzir tantas poesias em meio à correria da sua vida modesta. Sabemos que muitos dos nossos principais registros históricos são elitistas e embranquecidos pelos livros de História, o que por vezes, invisibiliza nomes importantes da nossa cultura, sobretudo, a popular.

Foto: Escultura João Sapateiro, por Mestre Demar/Reprodução Joselitto Franco Koka

Embora não tenha figurado entre os nomes famosos da literatura como Silvio Romero, Tobias Barreto e Hermes Fontes, por conta do contexto social em que vivia, a sua poesia é, sem dúvida, uma das nossas identidades sergipanas. A força das suas rimas traduzem a manifestação do povo através dos olhos de quem vivenciava de perto as realidades menos abastadas da sua época, traduzindo-as em arte. Tendo nos deixado em 2008, sua obra permanece viva e sempre é necessário evidenciar isso, para que nomes como o de João tenham, mais do que visibilidade, o merecido reconhecimento por sua contribuição para a construção da nossa sergipanidade. Abaixo um trecho da sua poesia Cântico aos Laranjeirenses:

“O teu passado eu bendigo,

E adoro o “Bom gosto” amigo,

Aonde vou me banhar;

Adoro a meiga corrente

Que canta canção dolente

Andando em busca do mar.

Adoro a tua Matriz,

Aonde a velhinha feliz

Vai rezar o seu rosário;

Amo o teu belo Cruzeiro

Que lá no cimo do outeiro

Nos lembra o Monte Calvário”

Rapidinhas

– Nos dias 20 e 21/06, a Funcaju realiza o XV Fórum do Forró, no Centro Cultural de Aracaju, na Pç. General Valadão (Aracaju).

– Em Aracaju, a festa continua na Rua São João, sempre a partir das 19h30

– O Forró Caju, como já informado aqui, começa primeiro na Pç. General Valadão. A partir do dia 20, sempre às 16h, artistas sergipanos darão o tom da festa, com muito forró e sergipanidade. Confira programação nas redes sociais da Prefeitura Municipal de Aracaju.

– No Arraiá do Povo, na orla de Atalaia, também tem show no coreto montado dentro da estrutura da festa. Confira programação nas redes sociais da Secult.


Por enquanto, é isso. Me siga no instagram: eiarturfarias

Email: [email protected] ou [email protected]

 

Comentários

Carregar mais Artigos relacionados
Carregar mais por Redação 79
Carregar mais em Diversão & Arte
Os comentários estão fechados.