Aneel acionará bandeira amarela, cobrança de R$ 1 a cada 100 kWh

 

Após manter a bandeira tarifária no patamar mais alto por 5 meses, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) informou nesta 6ª feira (26.out.2018) que acionará bandeira amarela em novembro. Os consumidores vão pagar R$ 1 a cada 100 kWh consumidos.

A decisão representa uma redução em relação aos meses anteriores, quando a taxa adicional era de R$ 5 a cada 100 kWh. Por conta da estiagem e do baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, a agência manteve a bandeira vermelha 2 acionada de junho a outubro.

Segundo a agência reguladora, apesar dos reservatórios ainda estarem em níveis baixos, com início da temporada de chuvas houve uma redução do preço da energia no mercado de curto prazo, conhecido como PLD e as expectativas em relação a produção das usinas hidrelétricas aumentaram.

ENTENDA AS BANDEIRAS TARIFÁRIAS

De acordo com dados da agência reguladora, os consumidores pagaram R$ 3,5 bilhões a mais nas contas de luz referente à cobrança das bandeiras tarifárias até agosto. Desde 2015, quando o sistema de bandeiras tarifárias foi instituído, os consumidores já pagaram R$ 27,9 bilhões.

As cores das modalidades –verde, amarela ou vermelha– indicam se haverá ou não acréscimo a ser repassado ao consumidor final. O objetivo das bandeiras tarifárias é sinalizar o custo real da geração de energia elétrica.

Por conta da estiagem e baixa nos reservatórios, as hidrelétricas não geram a quantidade de energia estabelecida nos contratos. Para suprir a demanda do país, é necessário despachar usinas termelétricas, que custam mais caro.

Para o acionamento das bandeiras, são considerados o custo de geração térmica mais cara, a expectativa de chuvas e o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas.

Comentários

  • Moradores reclamam de poste de energia que pode desabar

    Moradores do bairro Cidade Nova, em Aracaju, estão apreensivos com a possibilidade do post…
Carregar mais Artigos relacionados
Carregar mais por Redação 79
Carregar mais em Sergipe
Os comentários estão fechados.