Cinemas registram queda de 20 milhões de espectadores em 2018

Foram vendidos 161 milhões de ingressos no ano passado e no anterior (2017), foram 181,2 milhões

Apesar disso, o público de filmes nacionais cresceu 4,8% em relação a 2017 | Reprodução: ANCINE

As salas de cinema brasileiras registraram queda de público de 12,6% em 2018 na comparação com o ano anterior: foram 161 milhões de espectadores ante 181 milhões de 2017. Os dados foram divulgados nesta 3ª (5.fev.2019) no Fórum Anual Preliminar da Ancine (Agência Nacional do Cinema). Leia a íntegra do levantamento.

Segundo a agência, a queda ocorreu na audiência dos filmes estrangeiros, já que a visualização de obras nacionais registrou alta. A participação das vendas de tíquetes para filmes brasileiros representou 14,4% do total –aumento de 4,8% em relação a 2017.

Foram contabilizadas 3.356 salas de exibição ativas no Brasil, o maior número da série histórica. São 133 salas a mais do que em 2017. Os Estados que mais receberam novas unidades foram São Paulo (21) e Pernambuco (20).

FILMES EM DESTAQUE

Durante o ano de 2018, a bilheteria nacional vendeu ingressos a 23,2 milhões de espectadores. A Ancine afirma que esse aumento se deve principalmente ao filme Nada a Perder, obra biográfica que documenta a vida do bispo e empresário Edir Macedo, dono da TV Record.

O filme de Macedo teve a maior venda nacional e ficou em 2º entre os demais (nacionais e internacionais), vendendo 11,4 milhões de ingressos.

Entre os estrangeiros, Vingadores: Guerra Infinita teve a maior bilheteria. Foram 14,2 milhões de bilhetes vendidos.

MERCADO NACIONAL

A bilheteria nacional rendeu 14,8% a mais do que em 2018, entregando R$ 282,7 milhões ao mercado.

Os 4 Estados que tiveram maior público são:

  • São Paulo: 54,1 milhões de espectadores;
  • Rio de Janeiro: 22,8 milhões de espectadores;
  • Bahia: 5,8 milhões de espectadores;
  • Distrito Federal: 4,9 milhões de espectadores.

VALOR DO INGRESSO

O preço médio do ingresso teve aumento suave em relação a 2017 –fechou em R$ 15,13. Em 2017, era tabelado em R$ 15.