MP-GO recebeu denúncias de 78 mulheres

Força-tarefa investiga supostos abusos

Reprodução: Google

Até as 11 horas desta 3ª feira (11.dez.2018), o MP-GO (Ministério Público de Goiás) realizou atendimento a 78 mulheres que se apresentaram como vítimas do médium João de Deus. Segundo o órgão, a maioria delas enviou a denúncia por e-mail.

O MP-GO disse que as possíveis vítimas são de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Mato Grosso. Todas estão sendo orientadas a procurarem o Ministério Público de seu Estado, que ficará responsável pela coleta de depoimentos e, posteriormente, encaminhá-los ao MP-GO.

A força-tarefa do MP-GO conta com 5 promotores de Justiça e duas psicólogas e criou o e-mail “denuncias@mpgo.mp.br” especificamente para receber denúncias sobre o caso. Outro canal de denúncia são os telefones: (62) 3243-8051 e (62) 3243-8052.

JOÃO DE DEUS FOI DENUNCIADO POR ABUSOS SEXUAIS

Médium de políticos e celebridades, João de Deus é famoso por realizar “cirurgias espirituais”. Ele faz atendimentos no hospital espiritual Casa de Dom Inácio na desde 1976 na cidade de Abadiânia (GO), a cerca de 90 km de Brasília (DF). Foi apadrinhado por Chico Xavier (1910-2002), médium mais famoso do Brasil e grande expoente do espiritismo.

Na madrugada do último sábado (8.dez.2018), o programa Conversa com Bial, da TV Globo, revelou casos de abusos sexuais atribuídos ao médium por 4 possíveis vítimas.

Com a repercussão do caso, o Ministério Público de Goiás, Estado no qual os fatos teriam acontecido, criou uma força-tarefa em parceria os MPs de outros Estados para identificar vítimas e colher depoimentos.

O MP-SP (Ministério Público de São Paulo) também criou uma força-tarefa com o mesmo intuito.

ATENDIMENTOS NA CASA DOM INÁCIO DE LOYOLA CONTINUAM

Mesmo com as denúncias, os funcionários do centro espírita Casa Dom Inácio de Loyola, onde o médium atua, preparam o local para receber os pacientes na 4ª. De acordo com assessores, João de Deus atenderá normalmente pelos próximos 3 dias.

A assessora de imprensa do espaço, Edna Gomes, afirmou que o médium chorou diante da repercussão das notícias e está convencido de que esclarecerá os fatos. “Ele está triste, mas está bem. E, no momento certo, vai falar [sobre as denúncias]”, disse.

Para Edna, os depoimentos das mulheres parecem conter “inconsistências” que devem ser apuradas. Ela também afirma que, ao contrário do dito nas denúncias, João de Deus não atende ninguém individualmente, em ambiente separado: “O seu João sempre foi um homem muito respeitador“.

Francisco Lobo, secretário da Casa e ex-vice prefeito de Abadiânia, também questionou a veracidade das denuncias, classificando-as como “absurdos“. “Vamos ter que esperar peneirar para ver o que fica [das denúncias]”, afirma.

O advogado do médium, Alberto Toron, disse para a Agência Brasil que o cliente nega as acusações e as recebe com indignação. Além disso, Toron afirma que João se apresentará à Justiça e lembra que a maioria dos atendimentos são abertos e coletivos.

(com informações da Agência Brasil)