Justiça decreta prisão do prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro

Suposto vazamento da operação pode ter facilitado o sumiço dos suspeitos

Cesar Oliveira / Alese

Nas primeiras horas da manhã de hoje (22.fev.2019), promotores de Justiça do Gaeco e delegados e policiais da Deotap, PRF, COE e outras unidades policiais deflagraram a Operação Leak e foram cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão nas cidades de Aracaju e Lagarto.

A investigação diz respeito a desvios de verbas públicas do Matadouro Municipal de Lagarto e à prática do crime de lavagem de dinheiro pelo prefeito de Lagarto e demais investigados. 

Estão sendo alvo de buscas a sede da Prefeitura de Lagarto, as Secretarias Municipais de Finanças e Administração, o Matadouro de Lagarto, a sede da empresa JML Comércio Atacadista de Fumo Ltda  e as residências do prefeito, do genro e de laranjas dele e o administrador do Matadouro Municipal.  

Quatro mandados de prisão preventiva foram expedidos, em desfavor do prefeito José Valmir Monteiro,  de seu genro Igos Ribeiro Costa Aragão  e os sócios da empresa JLM, Joel do Nasimento Cruz e Gildo Pinto dos Santos. 

O nome da Operação se dá em razão da notícia de vazamento dos pedidos de prisão e buscas que estão sendo apurados, além da notícia de que os principais alvos de prisão saíram de seus domicílios para evitar serem capturados pelas equipes do Gaeco e das Polícias”.