Paulo Vieira de Souza é condenado a 27 anos de prisão

Marcelo Camargo / Agência Senado

A juíza Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara Federal de São Paulo, condenou nesta 5ª feira (28.fev.2019) o ex-diretor da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S.A) Paulo Vieira de Souza a 27 anos e 8 dias de prisão, sendo 7 anos e 8 dias em regime fechado, por fraude em licitações e formação de cartel.

É a 1ª condenação da Justiça Federal de São Paulo de 1 réu em 1 processo no âmbito da operação Lava Jato.

Paulo Vieira de Souza foi acusado pelo MPF-SP (Ministério Público Federal de São Paulo) de ter fraudado licitações e participado de formação de cartel em obras do trecho sul do Rodoanel e do Sistema Viário Metropolitano de São Paulo entre 2004 e 2015.

Na ação, procuradores da Lava Jato denunciaram 33 pessoas por estabelecerem cartel formado por várias construtoras, com o aval de agentes públicos das empresas Dersa e Emurb e da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras da Prefeitura de São Paulo.