A volta dos Bole-Bole e Saramandaia na ciranda de roda

Por Higor Trindade

Uma disputa que já acontece há muitos anos, e leva as gerações refletirem com muito mais acidez essa disputa política de quem tem mais apoio do povo lagartense. Fruto de desavenças passadas, muitos não sabem como iniciou essa rivalidade, e porque eles brigam até hoje.

Os dois principais grupos políticos de Lagarto, são liderados pelo deputado Gustinho Ribeiro e pelo ex-deputado Sérgio Reis, irmão do atual deputado Fábio Reis, ao que vale uma observação: Sérgio já foi deputado federal, mais não aproveitou o momento, acabou sendo imaturo em algumas decisões que tomou, e agora age como líder e conselheiro da família Reis e do grupo político que eles pertencem.

Um dia desses aconteceu algo já previsto, a briga que levou a rivalidade a acender o pavio dos deuses, quando o deputado Gustinho Ribeiro disse em alto e bom som que o seu adversário Fábio Reis só atrapalhava e queria mesmo  era fazer terrorismo em Lagarto, fazendo valer um plano familiar de comandar uma das prefeituras mais fortes do Estado. Em seguida mais ataques por parte de Fábio Reis, e por aí foi as flechadas, pontadas, tiros e bombas de um lado para o outro.

Hoje, o cenário mostra que o atual prefeito Valmir está afastado por 180 dias, por conta do caso do Matadouro Público, e a vice-prefeita, Hilda Ribeiro, esposa de Gustinho, mantém o estilo conciliador que é natural nessa sucessão provisória, como boa aliada e parceira de chapa. Na verdade, é difícil entender porque existe esses ataques, mais é claro e evidente que reflete as eleições de 2020, que mostrará com toda certeza mudanças nos comandos das prefeituras mais importantes, inclusive da cidade de Lagarto.

Os Bole-Bole e Saramadaia, continuarão por muito tempo definindo os destinos da querida cidade de Lagarto, mesmo com novas lideranças como o atual prefeito Valmir Monteiro, que está afastado, será difícil manter longe a sede de poder dessas duas famílias tradicionais. O que vale entender, é que toda essa disputa não está no sentido de defesa do povo, mais sim, de mostrar quem pode mandar mais no poder executivo municipal.

“Há de haver um dia, que nascerão novas lideranças, e afastarão os temores das terras sofridas deste mundo cruel” – Higor Trindade