Rogério Carvalho vota contra a transparência

Comissão autorizou transferência do Coaf para o Ministério da Economia e da Funai para o Ministério da Justiça; medidas são consideradas derrotas para o ministro.


A comissão de deputados e senadores que analisa a medida provisória da reforma ministerial decidiu na manhã desta quinta-feira, 9, retirar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, pasta comandada pelo ministro Sérgio Moro, e transferir Fundação Nacional do Índio (Funai) para o ministério da Justiça. 

Na primeira decisão, foram 14 votos contra 11 para a mudança. Com relação à Funai, a votação foi de 15 a 9. O texto ainda precisa passar pelos plenários da Câmara e do Senado

A FAVOR DA TRANSFERÊNCIA PARA O MINISTÉRIO DA ECONOMIA

  • Ciro Nogueira, senador (PP-PI)
  • Nelsinho Trad, senador (PSD-MS)
  • Jean Paul Prates, senador (PT-RN)
  • Rogério Carvalho, senador (PT-SE)
  • Jayme Campos, senador (DEM-MT)
  • Valtenir Pereira, deputado (MDB-MT)
  • Elmar Nascimento, deputado (DEM-BA)
  • Celio Silveira, deputado (PSDB-GO)
  • Arthur Lira, deputado (PP-AL)
  • Marx Beltrão, deputado (PSDB-AL)
  • Subtenente Gonzaga, deputado federal (PDT-MG)
  • Alexandre Padilha, deputado federal (PT-SP)
  • Luiz Carlos Motta, deputado federal (PR-SP)
  • Camilo Capiberibe, deputado federal (PSB-AP) 

CONTRA A TRANSFERÊNCIA PARA O MINISTÉRIO DA ECONOMIA

  • Fernando Bezerra Coelho, senador (MDB-PE)
  • Simone Tebet, senadora (MDB-MS)
  • Antonio Anastasia, senadora (PSDB-MG)
  • Rose de Freitas, senadora (PODE-ES)
  • Juíza Selma, senadora (PSL-MT)
  • Randolfe Rodrigues, senador (Rede-AP)
  • Alessandro Vieira, senador (Cidadania-SE)
  • Otto Alencar, senador (PSD-BA)
  • Filipe Barros, deputado federal (PSL-PR)
  • Diego Garcia, deputado federal (PODE-PR)
  • Daniel Coelho, deputado federal (Cidadania-PE)

Em nota enviada a redação do Portal 79, o senador Rogério Carvalho explica o motivo do seu voto em favor da transferência do Coaf para o Ministério da Economia.

Leia abaixo, a nota do Senador:

A decisão que determina o retorno do Coaf – Conselho de Controle de Atividade Financeira – para o Ministério da Economia foi tomada pela maioria da Comissão Especial do Congresso designada para analisar o fato. Foram 14 votos favoráveis à mudança dos 25 parlamentares que compõem a comissão.

O Senador Rogério Carvalho (PT/SE) chegou a discursar em plenário defendendo a preservação do direito à privacidade dos brasileiros. Já que o Coaf é uma unidade de inteligência financeira e tem acesso às informações de transações econômicas privadas, as quais têm proteção constitucional.

O que a população não sabe é que a bancada do PT no Senado já solicitou ao Governo informações sobre os supostos “laranjas” do PSL, partido do Presidente, e sobre o Fabricio Queiroz, onde existem fundadas suspeitas de corrupção e lavagem de dinheiro, e para tais situações que expõem o Governo Bolsonaro, as informações são mantidas em sigilo.

Valem lembrar que o órgão cuja origem é o Ministério da Economia (Fazenda) foi transferido para o Ministério da Justiça, e desde então, as repercussões aconteceram no âmbito político, privilegiando alguns e expondo outros em dissonância com o seu propósito legal de natureza imparcial.

Mesmo com a manutenção do Coaf no Ministério da Economia, o Senador Rogério faz um apelo para que o Conselho de Controle de Atividade Financeira atue de maneira democrática em que as regras valham para todos.