Em entrevista ao Portal 79, o advogado Márcio Dória, fala sobre a sua pré-candidatura a deputado federal nestas eleições, análise do cenário político local e nacional e porque decidiu entrar na política.

Márcio Santana , advogado, graduado na Universidade Federal de Sergipe (UFS), onde alcançou o grau de Bacharel em Direito, especialização em direito e processo do trabalho. Sócio fundador e proprietário do escritório Márcio Santana Advogados, conta com experiência profissional de mais de 25 anos no ramo da advocacia trabalhista e já ministrou palestras sobre o tema Direito Trabalhista e Direito Sindical. É Pré-candidato a Deputado Federal pelo PCdoB.


Portal 79 –  Porque o senhor decidiu ser pré-candidato nestas eleições?

MD – Na realidade eu não decidi, a decisão veio de um movimento da base sindical e social, existe a necessidade de ser fazer uma bancada voltada ao trabalhador e aos movimentos sociais. Diante da minha história, advogando há mais de 25 anos em prol do trabalhador, o meu nome foi escolhido para representar esse projeto, é um desafio, mas estou extremamente feliz, a recepção por onde passo tem sido maravilhosa e as pessoas anseiam por mudanças e vêm em mim essa possibilidade.

 

Portal79 – Qual a análise que o senhor faz do momento em que o país vive?

MD – A classe política passa um momento peculiar, ela não tem o respeito do cidadão brasileiro e do cidadão sergipano. Os políticos em razão dos seus próprios interesses não pensam mais no povo, ou seja, o momento é o pior possível, e diante desse quadro caótico no qual nos encontramos se faz necessário mudarmos.

É um momento importante, não obstante o caos que nos encontramos. É um momento de reconstrução, de surgir novos nomes. Diante das incertezas, acredito que vão surgir novas pessoas que respeitem o cidadão sergipano, que em suas palavras seja possível acreditar. Nós somos de fato um novo nome, temos um compromisso com o sergipano, com as bandeiras que defendemos. Olhe bem, se você imaginar que na candidatura a federal a grande maioria é composta dos Deputados Federais que já estão na Câmara Federal, outra de Deputados que já estiveram lá e o povo não reelegeu e outra de políticos tradicionais que já estão na política sergipana há anos, inclusive, ocupantes ou ocuparam mandatos eletivos em outros níveis, não resta dúvida que somos um dos novos a pleitear uma das vagas. E dentro dos novos nomes, com a devida modéstia, somos o único que tem uma agenda comprometida com os direitos dos trabalhadores e com o desenvolvimento das regiões menos favorecidas dentro do Estado de Sergipe, eu não vejo de uma forma direta e clara uma pré-candidatura comprometida como a nossa.

Chamo a atenção para a questão da FAFEN, sua extinção seria um grande golpe na economia de Sergipe, fato o qual não esperamos. Importante se faz alertar que o tema FAFEN foi esquecido, não interessando aos políticos de plantão trazer esse tema à tona, poderemos ver os trabalhadores de Sergipe aumentarem os índices de desemprego por uma falta de compromisso do Governo e de políticos do Estado de Sergipe, fato lamentável.

   

Portal79 – Quem o senhor apoiará para o governo e senado. Qual será o seu posicionamento?

MD – Se faz necessário uma análise, primeiro estamos dentro de um partido, o qual ainda não definiu quem apoiará para governo e senado, existe sim alguns camaradas que decidiram seus pré-candidatos, mas o partido em si não decidiu. Nós, o nosso grupo, ainda não definimos nossos candidatos. Não temos pré-candidato ao governo e nem ao senado, mas fatalmente estaremos seguindo uma linha partidária, para tanto esperamos sermos ouvidos dentro do partido para decidirmos qual caminho seguiremos.

Somos independentes, desde o momento que decidimos ser pré-candidato. Se vamos conversar ou não com os pré-candidatos, o interesse tem que partir deles.

Só chamo atenção que a pretensão de todos candidatos é legítima, caberá ao eleitor decidir o que é melhor para si, para o Estado e para o Brasil. Só peço ao eleitor que analise o perfil dos possíveis candidatos, seu histórico e sua ficha, e não se deixe levar pela promessa fácil, pelo salvador da pátria que só aparece de 4 em 4 anos.  

 

Portal79 – Quais as bandeiras que o senhor vem defendendo nestas eleições?

MD – A primeira bandeira é a que passa pela minha história, o trabalhador, que virou de um tempo para cá o bode expiatório do Governo e seus aliados, como se o trabalhador fosse culpado por tudo. Seja o trabalhador celetista, que sofreu um grande golpe com a reforma trabalhista, e o trabalhador estatutário que está prestes a sofrer uma amarga derrota, através do Projeto de Lei que já passou na CCJ, que pretende acabar com a estabilidade do servidor público, fazendo com que o servidor fique a mercê do governo de plantão. Assim como todos nós, já que todos nós pretendemos nos aposentar, e o Governo , juntamente com a grande maioria do Congresso Nacional, um Congresso Nacional venal, corrupto, isso é o que nos mostrou a operação Lava Jato, querem descer goela a baixo do Brasileiro uma absurda Reforma Previdenciária, a qual não acabará com os privilégios, inclusive, dos nossos nobres políticos, só trazendo danos para o trabalhador que sustenta nosso país.

Defendo a bandeira mais voltada ao trabalhador, assim como, defendo o desenvolvimento do Estado de Sergipe, em todas as suas regiões, apoiando importantes projetos que tragam um crescimento do nosso Estado.

 

Portal79 – Qual a análise que o senhor faz da gestão do prefeito Edvaldo Nogueira?

MD – Eu diria que Edvaldo recebeu um Município com vários problemas advindos da gestão de João Alves, o qual teve uma administração bastante complexa e caótica. Edvaldo tem dado uma cara a Aracaju, solucionando os problemas tão comuns nas grandes cidades.

 

Portal79 – Porque optou pelo PC do B e não outro partido para ser pré-candidato?

MD – A minha primeira filiação foi no PCdoB de 1999 a 2007, participando de forma ativa. Agora nos filiamos de novo ao PCdoB retornando a minha casa, um partido que mim identifico, que tem uma ideologia voltada para os movimentos sociais. Tive o primeiro contato para retornar ao partido através da Presidente do Sindicato dos Bancários, Ivânia Pereira, que tem carinhosamente nos acompanhado neste projeto. E depois tivemos um diálogo com o professor Bittencourt, Presidente Estadual do Partido, e demais membros, inclusive, com os movimentos ligados ao partido, como por exemplo, a UJS-União da Juventude Socialista e movimentos outros, estou muito feliz de ter voltado ao PCdoB.

 

Portal79 – Márcio, como você analisa a conjuntura política do grupo que hoje comanda o Governo do Estado?

MD – O grupo que dá sustentação ao Governo do Estado decidiu pela pré-candidatura de Belivaldo Chagas a Governador e desenharam uma estratégia, pelo menos é o que aparenta. Entretanto, na minha visão eles cometem um erro. E qual o erro? É que eles não enxergam o macro, estão apenas olhando em linha reta, olhando seus próprios umbigos, seus próprios interesses, por isso que a todo instante surgem conflitos, e o grande prejudicado será o próprio Belivaldo que corre um grande risco de não se reeleger.

Importante o Governo consolidar seu agrupamento, conversar com a pessoa mais importante, o eleitor, dialogar com o interior, com os sindicatos e com os movimentos sociais, e não achar que o político A ou B tem os votos, tem os currais, caso contrário, corre o risco de ser um grande fiasco, acho que essa política será diferente, uma grande parte não deseja voltar, outra anular ou votar em branco porque não se sente representada pelos políticos atuais, outra tá doida para dar um troco nesses políticos tradicionais. Ou o governo percebe esse movimento, até porque é ele que se encontra na gestão do Estado, ou vai dançar.

Mas os problemas do agrupamento do governo é coisa comum nos outros agrupamentos políticos do Estado de Sergipe, com a observação que eles não são governo, parece que está todo mundo meio anestesiado sem saber por onde ir, com medo do eleitor, enquanto isso o eleitor está mais descrente do que nunca, criando um verdadeiro desprezo a tudo que representa política, fato triste.

 

Portal79 – O senhor já procurou a OAB para pedir apoio, existe alguma sinalização enquanto a isso?

MD – Eu jamais procurarei a instituição OAB, porque não posso trazer a entidade dos advogados, a qual faço parte, para uma rota de colisão em razão de um projeto eleitoral. Agora, os seus membros, os meus amigos advogados, estou procurando sim, e estou tendo a felicidade deles declararem apoio ao nosso projeto, os advogados vêm nos recebendo e vibrando com a nossa pré-candidatura, com 25 anos de advocacia tenho o crédito dos meus pares, e eles sabem que acaso eleito serei um representante comprometido com os advogados e com o povo de Sergipe, é o que os advogados desejam.

 

Portal79 – Qual a sua opinião sobre as famílias políticas que comandam há mais de 100 anos o estado de Sergipe?

MD – Na realidade essa dinastia que existe em Sergipe é absurda. Olhe bem, tem pai, filho, sobrinho, neto, enfim, gerações da mesma família ocupando o Estado de Sergipe, se mantendo no poder de forma absurda, usando a máquina. Nosso Estado precisa se reinventar, inclusive, na política, precisa de novos nomes. É chegada a hora do povo sergipano dar um basta nesta situação, entender que o objetivo não é a continuidade dos interesses da família, e sim da população Sergipana. Se faz necessário que o povo opte por novos nomes, comprometidos com os interesses de Sergipe, e que acabe de vez com essa dinastia em Sergipe.

 

Portal79 – Qual a mensagem que você deixa para a população de Sergipe?

 MD – Eu estou vivendo um dos momentos mais felizes da minha vida, onde estou conhecendo pessoas que olham nos meus olhos e me dizem que sou diferente, que podemos fazer a diferença diante do grave quadro no qual nos encontramos. Eu não tenho dúvida que o povo sergipano quer mudar essa situação, o povo quer algo fora do comum, fora desse trivial que é a política sergipana. Eu acredito que o nosso perfil de falar francamente, abertamente e honestamente com os cidadãos sergipanos mostrará que podemos representar o Estado de Sergipe de forma digna, com respeito ao povo sergipano, respeito que os sergipanos tanto almejam. Eu lhe afirmo que estamos fazendo a diferença nessa política, e daremos uma resposta que os políticos tradicionais não esperam. Nos aguarde.

Comentários

Carregar mais Artigos relacionados
Carregar mais por Higor Trindade
Carregar mais em Entrevistas
Os comentários estão fechados.