Outubro Rosa: qual a importância?

Estamos no mês de outubro e certamente você já deve ter visto em algum lugar a expressão “outubro rosa”. Mas, afinal de contas, você sabe o que essa expressão significa e qual a sua importância?

O outubro rosa surgiu como movimento de luta contra o câncer de mama em Nova Iorque em 1990, lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. Desde então, o mês é celebrado mundialmente, cujo objetivo é conscientizar sobre a prevenção do câncer de mama, ampliando o acesso ao diagnóstico e tratamento da doença e, conseqüentemente, contribuindo para a redução da mortalidade.

Dados do Ministério da Saúde (2018) apontam que o câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres brasileiras, perdendo apenas para o câncer de pele não melanoma. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) aponta que para o Brasil foram estimados para 2019, 59.700 casos novos de câncer de mama, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres. Muito relevante, não é?!

Então, caro leitor, fique atento às recomendações do Ministério da Saúde para a prevenção do câncer de mama:

– São sintomas que SUGEREM câncer de mama: nódulo ou caroço endurecidona mama, fixo e indolor; saída espontânea de líquido em um dos mamilos e textura da pele avermelhada e/ou com aspecto de casca de laranja. Além disso, ainda podem ser observados nódulos em região de pescoço e axilas.

– O exame de rastreamento da doença é a MAMOGRAFIA! Esse exame deve ser realizado em mulheres entre 50 e 69 anos, com intervalo de 2 anos. Fora dessa faixa etária não foram demonstrados benefícios que superem os riscos. Contudo, casos suspeitos e/ou com histórico familiar e que não estejam dentro da faixa etária de rastreamento devem ser analisados em consulta médica.

– É importante mencionar que o auto-exame das mamas não substitui o exame de rastreamento, que é a MAMOGRAFIA. Contudo, é fundamental que as mulheres conheçam seus corpos e observem qualquer tipo de mudança e procurem ajuda médica em casos suspeitos.

– Câncer de mama não é uma doença exclusiva de mulheres! Sim, homens também podem ter câncer de mama!!! Portanto, todos atentos! Qualquer nodulação na mama, seja em homem ou em mulher, deve ser avaliada!

– São fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de mama: sedentarismo, obesidade e sobrepeso após a menopausa, consumo de bebida alcoólica, fatores genéticos como história familiar de câncer de mama e de ovário, dentre outros. Contudo, a presença de um ou mais desses fatores não implica que necessariamente a pessoa terá a doença.

Vale a pena frisar: em caso de qualquer alteração suspeita nas mamas, é imprescindível avaliação médica! Quanto mais cedo diagnosticado o câncer, maiores as chances de cura. Os tratamentos são direcionados para os mais diversos tipos de câncer de mama existentes e são disponibilizados no Sistema Único de Saúde (SUS).

O outubro rosa tem atravessado fronteiras e colocado à tona temáticas além do câncer de mama, como o protagonismo das mulheres em relação ao seu corpo, a sua saúde, a suas atitudes. Uma reflexão mundial que vale a pena ser celebrada, estimulada e vivenciada. Afinal, a informação é também uma ferramenta que pode salvar vidas. Por mais meses rosas durante o ano!