Dono da Dolly é preso por fraude fiscal

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

O dono da empresa de refrigerantes Dolly, Laerte Codonho, foi preso pela Polícia Militar na manhã desta 5ª feira (10.mai.2018). As investigações apuram os crimes de fraude fiscal estruturada, organização criminosa e lavagem de dinheiro. O valor desviado é estimado em R$ 4 bilhões.

As informações foram divulgadas pelo G1 e Poder360.

Codonho foi preso em casa, na Granja Viana, em Cotia (Grande São Paulo). Além do dono da empresa, também foram presos o ex-contador da Dolly, Rogério Raucci, e o ex-gerente financeiro da empresa, César Requena Mazzi.

Informações preliminares apontam que Codonho demitia funcionários e os contratava novamente em outra companhia para fraudar o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Foram apreendidos 2 helicópteros em São Bernardo do Campo e 1 carro de luxo em Cotia. A polícia também apreendeu dinheiro em espécie na mansão onde Codonho mora.

A operação envolve o Gedec (grupo especial do Ministério Público paulista de combate à formação de cartel e lavagem de dinheiro), a Procuradoria-Geral do Estado e a Polícia Militar.