Temer e amigo atuam em organização criminosa há 40 anos, diz MPF

Sérgio Lima / Poder360

Membros do MPF (Ministério Público Federal) afirmam que Michel Temer e coronel João Baptista Lima Filho (amigo pessoal do ex-presidente) atuam desde a década de 1980 na captação de recursos públicos por meio de lavagem do dinheiro.

A afirmação foi feita nesta 5ª feira (21.mar.2019) em entrevista à imprensa, no Rio de Janeiro. “Essa amizade começou quando Temer era secretário de Segurança de São Paulo e Lima era seu assessor militar”, disse a procuradora Fabiana Schneider.

Temer e João Baptista foram presos mais cedo na operação Descontaminação, desdobramento da Lava Jato. Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, com base na delação do operador do MDB Lúcio Funaro. Ao todo são 10 mandados: 2 de prisão temporária e 8 de prisão preventiva.